Caso Anic: polícia devolve dinheiro de resgate investido em bitcoins

Dinheiro de resgate investido em bitcoins foi rastreado pela polícia. Polícia acredita que a advogada Anic Herdy esteja morta

Após rastrear o dinheiro pago pela família de Anic Almeida Peixoto Herdy a Lourival Correa Netto Fadiga, também conhecido como Gordo ou Fatica, que está preso e é réu pelo sequestro da advogada, policiais da 105ª DP (Petrobrás) devolveram parte dos recursos aos familiares. O dinheiro havia sido investido em bitcoins.

Anic está desaparecida desde o dia 29 de fevereiro e a polícia acredita que ela esteja morta. Segundo a investigação, Anic e Lourival mantinham uma relação amorosa.

Conforme a corporação, o homem sequestrou a mulher – ou simulou um sequestro –, recebeu o dinheiro do resgate e forjou uma carta de despedida dela para a família. Depois, segundo os investigadores, a advogada acabou sendo assassinada.

Após um trabalho de inteligência, parte do dinheiro pago pelo marido de Anic, Benjamin Cordeiro Herdy, de 78 anos, foi localizado. A quantia chega a quase R$ 800 mil, que vinha sendo investida em bitcoins. O valor foi devolvido.

Dos R$ 4,6 milhões pagos pela família, outro montante foi gasto em um carro de luxo e uma moto, além de 950 aparelhos celulares, que seriam levados para a loja de Lourival, em Teresópolis, na Região Serrana.

Relembre o caso Anic

A advogada e estudante de psicologia Anic de Almeida Peixoto Herdy, de 54 anos, está desaparecida desde o dia 29 de fevereiro deste ano. Ela foi vista depois de deixar um shopping em Petrópolis. Imagens de câmeras de segurança a flagraram chegando às 11h08 de carro no estacionamento.

Vinte minutos depois, ela está na praça de alimentação e depois segue por um corredor a caminho da saída. Ela deixa o local a pé, passa por uma calçada às 11h34 e atravessa a rua. Depois disso, não foi mais vista.

Para o MPRJ, o mentor do crime é Lourival Correa Netto Fadiga, que teve a ajuda do casal de filhos — Henrique e Maria Luiza Vieira Fadiga — e da amante — Rebecca Azevedo dos Santos — para sequestrar a advogada e gastar parte do resgate.

Lourival trabalhava para os Herdy havia pelo menos 3 anos. Ele ganhou a confiança de Benjamim depois de dizer que era policial federal. No inquérito, no entanto, ficou comprovado que ele não fazia parte da corporação.

Os promotores acreditam que Benjamin foi manipulado por Lourival, que enviou mensagens falsas exigindo resgate e indicando contas bancárias para transferência dos valores. O funcionário também convenceu o marido a não chamar a polícia.

Em 11 de março, sob orientação dos sequestradores, Benjamin foi a um shopping na Zona Oeste do Rio, onde a mulher seria solta, enquanto Lourival deixaria R$ 680 mil em uma lixeira no Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes. Naquele momento, Benjamin já tinha feito 40 transferências, totalizando R$ 3,3 milhões, além de ter comprado 6,24 bitcoins, ou cerca de R$ 500 mil à época.

De acordo com a polícia, nesse dia Lourival nem sequer passou pelo Terreirão e foi direto para uma concessionária na Barra da Tijuca, onde comprou uma picape de R$ 500 mil em espécie e uma moto.

Também nesse dia, Benjamin recebeu uma mensagem do aparelho da advogada em que ela supostamente diz ter conhecido uma pessoa com quem fugiu e passaria a viver.

Segundo o MPRJ, Lourival era amante de Anic e a atraiu para um encontro no dia em que ela foi vista pela última vez.

Compartilhe nosso conteúdo

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

DE O PLAY

Ouça nossa programação ao vivo

Ao vivo

97,7 Fm

Find

Confresa – MT

 

Avenida 29 de Julho, 8

Quadra 45 

Jardim Planalto.

Contact